domingo, 28 de janeiro de 2018

Carta ao STF

 Carta aberta aos Ministros do Supremo Tribunal Federal

Excelentíssimos Senhores e Senhoras

Tendo em vista a perspectiva de rediscutirem a execução das sentenças imediatamente após condenação em juízo de Segunda Instância, PEÇO ENCARECIDAMENTE que não compactuem com a ideia de revogar esta determinação deste mesmo tribunal.
O povo brasileiro não aguenta mais tanta corrupção e uma impunidade que se arrasta até a prescrição dos crimes, permitindo aos autores a continuidade na prática de delitos iguais ou diversos.
Nosso país não pode continuar envergonhado perante o mundo por esta dupla mazela: corrupção e impunidade. Pois é esta chaga que em muito inspira, fomenta e causa a prática de outros tantos crimes menores ou até mesmo hediondos também.
Está em vosso poder, no momento, barrar a ignomínia de mudar justa e correta determinação deste colegiado supremo para favorecer poderosos que menosprezam a lei por se acharem acima dela e ainda dão a entender que eles têm vossas consciências em suas mãos. Não maculem o Judiciário com esta mancha, nem com o desprezo às vítimas.
Os réus condenados em Segunda Instância tiveram respeitados seus amplos direitos de defesa e esgotaram seus direitos de liberdade. Preserve-se-lhes o direito de recorrerem às instâncias superiores, mas já cumprindo a pena imposta.
Convenhamos: a privação de liberdade é pena pouca para quem, com seus atos espúrios, impinge a pena de morte a muitos inocentes que morrem por falta do mínimo que lhes é de direito como saúde, segurança e outras prerrogativas da nossa Constituição. Mas, deixemos o efetivo castigo nas mãos da justiça divina. Façamos cumprir apenas a nossa lei que manda privar da liberdade quem não respeita a mesma.
Confiando que tendes em vossa consciência a honradez que o nobre cargo enseja, faço-vos este apelo, também em nome de muitos brasileiros que não conseguem fazê-lo.

Ass. Nelsi Inês Urnau - Professora

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Então é Natal...

De todos os eventos anuais, 
o mais singelo, 
o mais encantador, 
o mais sublime!

Selecionando algumas das encantadoras imagens recebidas: 

os convites...

as divertidas...


os chamados à reflexão... 


 os cartões lembrando o motivo da festa...


 os  cartões de felicitações:




sendo um pouco "Noel"... 


 sendo um pouco anjo a distribuir "floquinhos de algodão"... 


 sendo um pouco "anjo-noel"... 
e sendo feliz, enfim.
E, que venha um abençoado e feliz 2018!!! 

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Mel e Fel na 63ª Feira do Livro de POA


Eu e meu livro na banca 12
 Mari Regina  Rigo (coordenadora da Biblioteca Comunitária Cecília Meireles), eu e Marcelo Spalding (Editora Metamorfose), próximos à banca 12.
 Cláudia de Villar (escritora), Marcelo Spalding (editor e escritor) e Gilmar Delvan (escritor) presentes na Banca 12.


segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Elucubrações de outubro



Enquanto me falta tempo de preparar meus próprios textos, vou colando aqui os que falam por mim.






Para quem gosta de colorir...


sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Setembro: Pátria e Bíblia

Semana da Pátria









Mês da Bíblia





sexta-feira, 14 de julho de 2017

Mel e Fel na Amazon

A quem deseja saborear poemas de Mel e Fel, comunico que pode adquirir meu livro pela Amazon.
Acesse o site de venda pelo link: 



Mel e Fel na 33ª Feira do Livro de Canoas

Lançamento com a presença de Hilda Lape, artista plástica canoense, autora da obra que ilustra a capa.
 Com o sempre valoroso apoio da mana Iria.
 Com o Patrono da 17ª Feira, escritor Henrique Martins, Hilda Lape e o atual Patrono escritor, pesquisador e genealogista Demétrio Alves Leite.
 Com o Patrono da 28ª Feira, escritor Jairo de Souza.
 Autografando para muitos amigos (desculpem aqueles dos quais não consegui reunir as fotos).
 E a presença de uma grande amiga e parceira dos tempos da adolescência, Raquel Rodrigues Sudre.